Blog

Jânio Quadros “tricolor”

O Fluminense Football Club é maior do que todos nós e assim, baseado nos credos da Associação Nacional Tricolor de Coração, é que pregamos uma gestão profissional, transparente e organizada, com força para arregaçar as mangas e trabalhar objetivando ao reerguimento da instituição.

Não há mais como enganar o torcedor e o sócio tricolor com cartas no melhor estilo Jânio Quadros, cujo claro objetivo é tentar retornar nos braços do povo.

Não, isso não vai dar certo.  E não vai dar certo porque não há como se enganar ou se iludir com um senhor que até 2013 nunca tinha sentado num degrau de arquibancada e que, mesmo rico, só se tornou sócio aos 63 anos de idade; afinal de contas, se nasceu para “servir o Fluminense”, onde estavam esses “serviços” durante pelo menos 50 anos? Ninguém viu “serviço” nenhum em 1999, em 2009… Ou mesmo nos áureos tempos da máquina tricolor ou das recentes conquistas nacionais. Onde estava o “servo” tricolor?

Chega! O Fluminense não precisa de falsos mecenas com Taxa Selic e atitudes irresponsáveis que propiciem que sumam milhares de camisas sem ninguém ter sido responsabilizado por tamanho prejuízo. O Fluminense precisa de gestão e trabalho sério e organizado.

Seguindo na linha da falta de transparência cultuada pela gestão atual até a presente data, não se sabe o que foi gasto, a forma de pagamento, o que devemos, se devemos, quanto gastaremos para concluir a obra da construção do CT “Pedro Antônio”, aliás, diga-se de passagem, como devem estar se sentindo Castilho, Preguinho, Telê Santana, Félix, Assis, Washington e tantos outros ídolos que não foram lembrados e cogitados para tal honraria, devem com certeza estar se revirando em seus túmulos diante de tamanha ingratidão.

Já que mencionamos o nosso Centro de Treinamento inacabado, pois não tem rua de acesso, não tem água encanada e, ainda existe quem ache ser um dos “melhores do Brasil” perguntamos, como é que pode ser isso e qual a verdade por trás da construção mal feita e inacabada ?

Ademais, o conselheiro eleito (ou ex-conselheiro? Carta de renúncia já foi entregue? Palavras o vento leva, não se esqueçam) que dá nome ao Centro de Treinamento, na última reunião do Conselho Deliberativo no dia 08 de outubro de 2018 fez uso da Tribuna para defender o seu ponto de vista e do grupo político Flusócio, ambos querendo aprovar as contas de 2017 antes da apreciação das contas refeitas de 2016 (ao arrepio de qualquer autorização prévia e com reflexos nos números de 2017, conforme relatado e assinado pelo próprio Conselho Fiscal).

Situação absurda, mas defendida por Flusócio, Pedro Antônio (como porta voz, diga-se de passagem, tanto assim que foi o responsável por encaminhar pedido de votação nesse sentido) e pela bancada dos Esportes Olímpicos (Obs.: parabéns pela conquista do campeonato estadual de xadrez, modalidade que nunca houve no clube até ser criada para agradar um dos cabeças da Flusócio apreciador do jogo. Laranjeiras foi pequena demais para tamanha emoção e comemoração de título tão expressivo). Obviamente a aprovação das contas do exercício de 2017 era apenas um “detalhe” já que todos os acima citados votam juntos e já haviam se manifestado favoravelmente a aprovação em momentos anteriores. 

O que nos parece totalmente inadequado, uma vez que em diversos pontos das referidas contas existem divergências e falta de clareza para com os números. Mas por que será? Por que atuar dessa forma e contra os interesses da instituição? Pelo que nos parece há um claro alinhamento dos citados com a atual gestão, da qual fez ou faz parte, já que até documentos “secretos” recebeu https://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2018/09/18/mecenas-do-ct-do-flu-ganha-acesso-a-documentos-por-possivel-apoio-a-abad.htm).

Obviamente visando um conluio para uma futura candidatura, até porque vindo de uma pessoa que articulou por meses para tentar “rasgar” o estatuto para dar um golpe e se candidatar já em 2016 pode-se esperar tudo (aliás, “parabéns” aos envolvidos na demora do andamento do processo de impeachment,pois caso aprovado, novas eleições já poderão contar com a participação do falso mecenas que cerca de 10 dias atrás completou o prazo mínimo de 05 anos como sócios para poder se candidatar à presidência). É de bom tom deixar claro que este mesmo conselheiro, quando da eleição de 2016, estava na fila de eleitores abordando os sócios/votantes com a seguinte pérola: “se não votar no Abad a obra do Centro de Treinamento vai parar”. Abad foi eleito e a obra parou assim mesmo dias depois…

Será que ter um presidente que tenta desrespeitar o estatuto do clube é o ideal para a instituição? O país não admite mais isso, portanto, o Fluminense Football Club também não, precisamos é de respeito e trabalho, muito trabalho.

Fato é que não acreditamos no Sr. Pedro Antônio. Muito menos em sua carta recentemente publicada… Será que ele tem medo da crítica? Será que ele pretende renunciar ao Conselho Deliberativo agora apenas para evitar ter que se posicionar em temas sensíveis que estão para serem votados até o fim deste ano, tais quais o impeachment de Abad (cujo requerimento ele se recusou a assinar), aprovação de contas e orçamento 2019 ???

Parece muito conveniente… Ou será covardia estratégica? Cabe ao sócio tricolor avaliar e não se deixar enganar. O destino do Fluminense está em nossas mãos. Parem e reflitam.

Siga e curta a Tricolor de Coração: