Documentos OficiaisHistória

Pronunciamento Relatório sobre revisÃo orçamentária – Gestão Peter (2011) – 12/maio/2011

Pronunciamento na Reunião do Conselho Deliberativo do FFC em 12 de maio de 2011

Boa noite.

Sr. Presidente, membros da mesa, nobres conselheiros, em nome da Tricolor de Coração vou ler um PARECER elaborado pelos nossos companheiros de grupo político e ilustres conselheiros – SADY MONTEIRO e ANTÔNIO CORREIA, especialistas no tema.

 

SOBRE A SITUAÇÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA DO FLUMINENSE FOOTBALL CLUB ATÉ MAIO DE 2011

O orçamento é a expressão financeira de um planejamento organizacional. É também um importante instrumento de controle, pois através dele acompanha-se a evolução da execução da administração em função do que foi planejado.

Na primeira ficha recebida junto da convocação para esta reunião, chamada de “comparativo real x orçado 2010”, nota-se que somente foram obtidos superávits nas receitas ordinárias ou rotineiras do clube, provenientes de mensalidades, estacionamento, parte social etc e também nas receitas oriundas dos esportes olímpicos (entre elas, as provenientes das escolinhas, taxas de participação em torneios internos etc). Já nos demais itens analisados, as receitas reais foram menores que o orçado e as despesas reais foram maiores que o orçado, isto é, são apresentados NÚMEROS NEGATIVOS, o que transparece certa falta de controle. Mas cabe destacar, por oportuno, que ESTE FOI O ORÇAMENTO DA ADMINISTRAÇÃO PASSADA.

No item 2, “Das Fontes extra-orçamentárias em 2010”, percebe-se, como o título diz, que foram entradas de numerário não previstas no orçamento, obtidas de adiantamentos e empréstimos, tudo pertencente às decisões da administração passada, totalizando R$ 38.000.000,00 (trinta e oito milhões de reais). Pode-se afirmar que a administração passada usurpou parte do dinheiro que seria receita da atual gestão em 2011.

Já no item 3, “Das Premissas orçamentárias 2011”, podemos extrair as seguintes intenções da atual gestão:

– Reduzir despesas de custeio, isto é, despesas das atividades rotineiras (tais quais luz, telefone, água, materiais administrativos etc);

– Aumentar significativamente as receitas operacionais, sobretudo, do futebol e do marketing;

– Administrar efetiva e eficazmente o passivo trabalhista e cível deixado pelas administrações passadas, impedindo o seu crescimento, o que já está sendo feito de modo exitoso, pois até agora o principal da dívida parou de crescer. Até já se conseguiu reduzir os saldos negativos com alguns pagamentos de ações judiciais antigas;

– Outra meta da atual gestão é procurar outras fontes de receitas para o futebol profissional, para que seja possível fazer um forte investimento em Xerém.

Já no item 4, na ficha “Resumo orçamentário – planejamento orçamentário 2011”, apenas ainda não se conseguiu cobrir os custos com as atividades rotineiras do clube, permanecendo um déficit de R$ 130.000,00 (cento e trinta mil reais), o que pode ser corrigido com razoável facilidade no restante do ano em curso. Mas as receitas operacionais já estão com uma previsão de superávit de quase R$ 20 milhões. E as despesas financeiras, tributárias e trabalhistas permanecem com os valores do ano passado, o que é mais uma conquista da presente gestão.

As receitas operacionais previstas já superam as despesas, incluindo as financeiras e tributárias, prevendo-se um superávit de quase R$ 270 mil reais.

O desejado Centro de Treinamento (CT) e Xerém não podem ser considerados “despesas” por si só, embora constem como tal no orçamento, porque são investimentos e trarão retorno nos próximos anos. De qualquer forma, acompanhando o dia a dia, o orçamento 2011 já se apresenta com um superávit estimado de R$ 10.517,00 (dez mil quinhentos e dezessete reais). Ou seja, alcançando o objetivo de estancar a sangria e chegar ao DÉFICIT ZERO.

E nos demais itens do demonstrativo recebido pelos conselheiros, tais quais: – “Realizado 2010 x Orçamento 2011”, “Variações Receitas 2010 x 2011 – Clube”, “Variações Receitas 2010 x 2011- Futebol”, ”Variações Receitas 2010 x 2011 – Esp. Olímpicos” e “Despesas Financeiras & Atualização de Tributos” comparam o realizado de 2010 com o previsto para 2011 e corroboram estas nossas observações e impressões iniciais, pois demonstram clara expectativa e planejamento de redução das despesas e aumento das receitas.

CONCLUSÃO

A administração atual demonstra cabalmente ser séria, cristalina e preocupada em mostrar a todos os tricolores o melhor caminho para dias mais tranquilos e para fazer retornar o clube ao tempo em que era exemplo para as demais agremiações, como já foi no passado, razão da nossa gloriosa “Taça Olímpica”.

Todos os problemas financeiros, fiscais e trabalhistas que atormentam o clube por décadas estão sendo equacionados. Apenas os juros dessas dívidas ainda estão fora de controle, porque não dependem da administração. Eles só deixarão de crescer quando liquidadas as dívidas principais pouco a pouco com planejamento e negociação.

As demais despesas anteriores não saldadas estão sendo pagas lentamente, de acordo com os nossos parcos recursos, mas não crescem mais, e isto é muito importante. Concluímos então que se deve dar total apoio a esta árdua missão da gestão Peter Siemsen.

Este é o parecer da bancada de conselheiros da Tricolor de Coração, com fé e esperança em dias melhores para o nosso amado Fluminense Football Club.

E um grande passo para tanto será a aprovação, por este Conselho Deliberativo, da Revisão Orçamentária 2011.

Muito obrigado e boa noite.

 

Obs.: Parecer elaborado em maio de 2011 pelos conselheiros Sady Monteiro Junior e Antônio Correia. Posteriormente revisado, adaptado e lido na tribuna do Conselho Deliberativo pelo conselheiro Luis Monteagudo Gonzalez Filho.

Siga e curta a Tricolor de Coração: