HistóriaInformativos, cartas e comunicados

Tricolor de Coração – Posicionamento em 09/11/2007 sobre boatos.

Prezados,

 

Dirijo esta nota a inúmeros amigos reais e leais que estão juntos neste sonho com compromisso; a alguns amigos que abandonaram o sonho por razoes próprias que somente deles merece julgamento; a outros meros conhecidos cordiais e, finalmente, a outros tantos que mantive / mantenho relacionamentos cuja especificidade impõe dar conhecimento.

 

O assunto título esta requerendo um posicionamento e esclarecimentos.

 

Buscarei informar da forma mais direta e objetiva que consiga.

Incluindo breve reporte cronológico.

 

AA-  A Tricolor de Coração nasceu e cresceu como fruto e conseqüência da paixão pelo Fluminense, da observação de que nosso clube foi e é mal conduzido gerencialmente, de que é possível corrigir tais problemas e, desta forma, recolocá-lo na trajetória que o permita novamente desfrutar da posição de liderança e vitórias no cenário esportivo brasileiro que formou sua tradição.

 

BB- Apresentamos candidatura a Presidência do clube e ao Conselho Deliberativo em 2004 (o signatário como candidato) e fomos derrotados por circunstâncias além de nosso controle e influência (a exemplo de apresentação de falsários como candidato – como aqueles que participaram do pleito bem o sabem -).

Lembramos que a somatória de votos sufragados às oposições superou 65% dos votos válidos.

 

CC- A Tricolor de Coração foi derrotada por uma margem de votos tão escassa que, obedecendo ao Estatuto, elegemos 15 conselheiros para o mandato 2005 – 2007.

 

DD- Estes Conselheiros foram participantes ativos, propondo alternativas de ajuda à Direção do clube, quando tal se impunha como necessário; combativos contra irregularidades e ações temerárias que eram cometidas pela atual gestão; convocando, duas vezes, reunião extraordinária quando estávamos flertando com o rebaixamento no Campeonato Brasileiro (ocasião em que fomos severa e fortemente combatidos pelos Conselheiros Marcos Furtado, Sergio Galvão e pelo VP Geral Julio Domingues) e, finalmente, registrando formalmente (julho / 2007), em manifesto oficial, seu protesto e não aceitação de irregularidades administrativas e financeiras, tais como a reprovável aprovação das contas da Diretoria referentes ao exercício de 2006, que apresentavam um parecer do Conselho Fiscal apontando “apropriação indébita” e, ainda, da atitude em tribuna do VP Financeiro, que informava haver “aconselhado aos demais Vice Presdientes que fizessem uso do artifício “caixa 2” para fraudar credores“.

Tais informações constam em ata oficial de reunião do Conselho Deliberativo, em 11 de julho.

 

Neste manifesto fomos acompanhados por mais 48 Conselheiros cujo nível de moral e ética não lhes permitia compactuar com o que vinha e vem sendo feito na atual gestão do Fluminense. Em sua larga maioria Beneméritos e Grandes Beneméritos;

 

EE- Fomos a primeira pré-candidatura apresentada aos sócios, representada por 182 convidados da Tricolor de Coração (79 sócios) no baile oficial do clube em comemoração aos seus 105 anos (21/julho deste ano);

 

FF- Após tal apresentação, outra chapa se apresentou liderada e comandada por dissidentes da atual Diretoria (dissidência esta motivada por razões que não nos cabe analisar ou discorrer, já que ambos os lados se acusam de forma múltipla e violenta) se auto intitulando OPOSIÇÃO; novamente vislumbramos o mesmo cenário de 2004 se apresentando;

 

GG- Por diferentes e inúmeras vezes fomos convidados ( o signatário e vários dos integrantes da Tricolor de Coração, em ocasiões múltiplas) para contatos, ora com a atual Diretoria, ora com a chapa que se auto proclama OPOSIÇÃO;

 

HH- Tais contatos sempre se realizaram em clima de urbanidade e respeito.

À Tricolor de Coração foram oferecidos cargos, posições de comando e outras vantagens, usagem comum aqueles que desfrutam do poder em causa própria.

Lamentavelmente não conseguimos que nos entendessem.

 

A todos e qualquer um que conversou conosco foi informado com absoluta clareza e ênfase (pedindo ao interlocutor para repetir, permitindo verificar se ele havia entendido bem) que a TRICOLOR DE CORACAO  NAO QUER,  NAO DESEJA,  NAO NEGOCIA CARGOS,  NEM  IMPÕE  NOMES  PARA  OS  MESMOS.

 

II- Em 26/09 recebi uma proposta (aceitando um convite meu para almoçar feito em JUNHO) através de um dos líderes da campanha do atual Presidente, para aceitar ser Presidente do Conselho Deliberativo. Em 17/10 o mesmo interlocutor, desta feita acompanhado por um VP do clube, renovou os termos da proposta. Nela, a proposta, a Tricolor de Coração teria o comando da mesa do Conselho Deliberativo, 40 conselheiros (30 titulares e 10 suplentes) e 01 VP.

 

Foi-lhes respondido que levaríamos tal proposta aos componentes da TC para análise, mas que qualquer tipo de acordo político passava pela adoção pública e formal dos 03 credos da Tricolor de Coração. Fornecemos minuta de carta anunciando tal adoção.

 

Esta proposta foi retirada antes de analisarmos em grupo pois, imediatamente após, fomos informados que os dois interlocutores não tinham autoridade ou permissão dos diversos grupos que apóiam ao atual Presidente para fazer qualquer proposta. Um deles hoje nega ter feito tal proposta. O outro ratifica e corrobora tê-la feito.

 

JJ- Em 23 de outubro, um tricolor que ocupa alto cargo de direção em empresa pública, nos convidou (o signatário e o candidato a VP Geral da Tricolor de Coração em 2004) para almoçar com o atual Presidente do clube. Almoço este absolutamente inócuo face a incapacidade de comunicação objetiva do atual Presidente, principalmente para analisar qualquer assunto que não seja suas atuações pessoais e história de sua vida pregressa.

 

LL- Diversos contatos, com diferentes interlocutores, foram mantidos com a chapa auto denominada de oposição.

 

Recentemente, (07/11) um almoço foi realizado com a presença do próprio pré candidato, Sr. Peter Siemsen, e dois membros da Tricolor de Coração.

 

Apos tal, ontem, dia 08/11, fui contatado por um dos que se apresentam como líder da campanha, Sr. Ricardo Tenório, que insistiu em explicar o inexplicável, ou seja, porque tal candidatura se intitula oposição e porque reivindica ser a líder do processo.

 

No almoço e no telefonema de ontem nos foi informado:

 

-O pré candidato não abre mão de sua candidatura a Presidente.

-A coordenação de campanha deles não pode ceder metade da chapa concorrente ao Conselho para nomes oriundos da Tricolor de Coração, pois tem vários nomes seus, apresentados por diferentes correntes que compõe seu grupo de comando (a exemplo dos Srs. Marcos Furtado –ex-VP da atual gestão-, Julio Domingues -ainda hoje VP Geral do clube-, Nardo Glutner – atual 1o. Secretário do C.Deliberativo- , David Fischel -que dispensa qualquer apresentação ou comentário -, Ivan Proença – Ideal Tricolor -, Sergio Galvão – ex- VP da atual gestão-, Milton Moundenblatt – atual Presidente do C.Deliberativo – e amigos do próprio pré candidato, Sr. Siemsen, – ainda hoje Conselheiro eleito na chapa do Sr. Roberto Horcades- para acomodar.

-O pré candidato não aceita meu nome para candidato a Vice Presidente Geral porque não confia em mim (palavras dele, a mim informadas pelos participantes da TC no almoço e posteriormente confirmadas pelo Sr. Ricardo Tenório).

-Considera ele, o pré candidato Peter Siemsen, a união das duas chapas imprescindível. Caso contrário, acredita que a oposição perca novamente.

 

Durante o telefonema do Sr. Ricardo Tenório (30 minutos) discorrendo sobre a vantagem de seu candidato, ao ser perguntado porque o mesmo jamais ligou diretamente para mim, respondeu que o Sr. Siemsen se sente constrangido e inibido quando fala comigo.

 

MM- Ante ontem recebi um telefonema do Roberto Horcades dizendo que gostaria de conversar comigo. Fui e o ouvi durante 90 minutos. Após tal solicitei licença e me retirei face a total falta de objetividade do Presidente quando levantado nosso ponto primordial: obediência aos três credos da Tricolor de Coração.

 

Insistentemente, de forma recorrente, voltava a oferecer cargos em futura gestão.

 

NN- A Tricolor de Coração desenvolveu e crê em seus 03 credos.

Todos sabemos, “ad nauseam“,quais são.

Aquele (seja quem for, de que corrente política se apresente) que com eles concorde e assegure minimamente seu cumprimento, principalmente através de suas confiabilidade e integridade pessoal, terá nosso apoio.

 

OO- A Tricolor de Coração  protocolou na secretaria do clube, dia 08 / 11 às 09:30hs, carta encaminhando 220 nomes de sócios / sócias para consulta prévia quanto ao Artigo 16 parágrafo I do Estatuto (sócio em situação regular para compor chapa de Conselho Deliberativo) . Aguardamos resposta para breve.

 

PP- Temos, ate o momento, registro de recebimento de 172 cartas de apoio aos 03 credos.

 

FINALMENTE, desde já solicitando desculpas pela extensão desta nota, INFORMAMOS:

 

 

A TRICOLOR DE CORAÇÃO APRESENTARÁ SUA CHAPA PARA REGISTRO.

 

CONCORREREMOS ÀS ELEIÇÕES ESTE ANO,  COMO O FIZEMOS EM 2004.

 

A PARTIR DESTE MOMENTO NÃO DISCUTIREMOS MAIS QUALQUER TIPO DE ACORDO POLÍTICO COM QUALQUER OUTRA CHAPA DE QUALQUER  PRÉ CANDIDATO.

 

ANALISAREMOS A ADESÃO DE QUALQUER PRÉ CANDIDATO QUE PUBLICAMENTE ANUNCIE E SE COMPROMETA COM  A  ADOÇÃO DE NOSSOS TRES CREDOS.

 

 

Cordiais saudações tricolores de coração,

 

 

   ATÉ    A    VITÓRIA.

Siga e curta a Tricolor de Coração: