tricolor de coração

A Tricolor de Coração agradece a todos

Caros amigos tricolores.

mário e celso tricolor de coraçãoA Associação Nacional Tricolor de Coração vem a público agradecer a todos aqueles que ajudaram, participaram, torceram e votaram na Chapa 20 – Tantas Vezes Campeão – Mário Bittencourt e Celso Barros na eleição do último sábado 08 de junho de 2019.

Agradecemos a confiança depositada no trabalho, nos compromissos, nos projetos e no currículo dos candidatos, bem como agradecemos a confiança de todos aqueles que acreditaram no nosso trabalho enquanto principal grupo político de apoio à atual gestão que hoje se inicia.

A Tricolor de Coração tem uma bonita e coerente história dentro da política do clube, sempre pautada pela ética, pelo trabalho propositivo e com muito suor e dedicação.

Estamos certos de que a gestão que hoje se inicia é composta pelas melhores pessoas, pela melhor equipe e pelos melhores projetos. E estamos muito orgulhosos em fazermos parte de tudo isso.

Fruto de enorme trabalho de anos e agora ajudando a assumir a gigante responsabilidade de comandar os destinos da nossa paixão.

torcida-flu-maracanaO Fluminense precisa de uma nova era, do resgate da sua credibilidade e de esperanças renovadas. Temos certeza que os sócios e os milhões de torcedores espalhados pelo país e fora dele comungam deste sentimento de esperança renovada e que vão contribuir para a retomada do nosso destino recheado de glórias mil. O Fluminense pertence à sua torcida e para ela será pensado e administrado.


O Fluminense vai voltar a ser verdadeiramente protagonista. Em todas as esferas. Contamos com todos e cada um.
Muito obrigado pelos 2.225 votos depositados em confiança ao trabalho de todos os envolvidos.

O nosso Fluminense tem o seu lugar na história e é hora de trazer de volta um tempo de conquistas e glória. O Fluminense tantas vezes campeão vai retornar com Mário Bittencourt e Celso Barros.

Assim esperamos, assim confiamos e assim vamos apoiar e ajudar pelo bem maior do nosso amado Fluminense Football Club.


Saudações Tricolores de Coração.

Tantas Vezes Campeão

Chapa Tantas Vezes Campeão

A Associação Nacional Tricolor de Coração, desde 2016, apoia o plano de gestão que foi defendido por Mário Bittencourt naquelas eleições. Como partícipe do processo, iniciamos a mobilização por esse projeto, agora agregando toda a experiência de Celso Barros e de seus apoiadores.

Chegou a hora. Temos o prazer de anunciar que Mário Bittencourt e Celso Barros lançam hoje a chapa “Tantas Vezes Campeão”. Acreditamos na vitória, acreditamos nesse projeto. Teremos de volta o nosso clube Tantas Vezes Campeão. Contamos com o apoio e a mobilização de todos os Tricolores que desejam o melhor para o Fluminense. Vamos à luta.

 

Lançamento da chapa Tantas Vezes Campeão

 

Prezados tricolores,

 

O nosso Fluminense tem seu lugar na história do futebol internacional e o reconhecimento de sua honrosa tradição. Por todos os ângulos que se olhe, nosso clube é um vencedor natural, vocacionado para brilhar. Está reservado a ele um futuro de conquistas, da superação de desafios e de consagração.

 

Por trás desse Fluminense vencedor, existe um outro. É o clube que tem em seu hino a fidalguia, a visão de valores éticos fundamentais. São mais do que palavras. São compromissos que todo tricolor carrega na essência, forjada em seu amor ao clube. São conceitos que se cresce ouvindo em casa, no hino, no grito da torcida.

 

Para levar adiante o sonho de ver esse Fluminense renascer, revigorar suas cores, reacender seu brilho é que vimos aqui, Mário Bittencourt e Celso Barros, nos colocarmos à disposição de todos os tricolores para levar adiante a tarefa de dirigir o clube pelos próximos três anos e meio.

 

Estamos lançando oficialmente o chapa “Tantas Vezes Campeão”, que concorrerá à presidência e à vice-presidência na eleição do dia 8 de junho. Com nossa união pretendemos honrar o nome de nosso clube e levá-lo de volta ao lugar de destaque que lhe está reservado na história.

Tantas Vezes Campeão

Após seguidas reuniões de planejamento e conciliação de nossas visões, entendemos que com Mário Bittencourt na presidência e Celso Barros na função de vice-presidente geral, dedicando-se em tempo integral à direção do futebol do Fluminense, traremos de volta o espírito vencedor que já nos deu cinco títulos nacionais.

 

E, diga-se com justiça, três deles foram conquistados com o próprio Celso como responsável por uma das parcerias mais longevas e exitosas do futebol brasileiro, com resultados positivos tanto para o clube quanto para a patrocinadora. Dois títulos do Campeonato Brasileiro, uma Copa do Brasil, 3 estaduais, uma final da Libertadores e uma da Sul Americana. O Fluminense voltará a ter não apenas um grande tricolor e parceiro a seu lado, mas à frente de suas decisões.

 

Tantas Vezes CampeãoO Fluminense tem desafios imensos à frente. Para isso, contaremos com a colaboração de equipes profissionais escolhidas por mérito, pelo currículo de cada um dos mais experientes e pelo brilho nos olhos e o preparo dos jovens talentos. Entraremos em campo com o melhor time administrativo e desde já estão convocados aqui todos aqueles que colocam o verde, o branco e o grená em primeiro lugar. 

 

À frente desse time estará Mário Bittencourt, que há 20 anos respira o clube, desde que iniciou sua vida como estagiário nas Laranjeiras, culminando em momentos em que carregou a responsabilidade por defesas importantes, memoráveis. Com sua capacidade de trabalho, combatividade, seu poder de liderança e o espírito sempre pronto para defender o Fluminense em todas as tribunas, salas, salões e estádios, ele foi escolhido por nossa chapa para comandar a gestão do clube como um todo.

 

Nosso compromisso será o de trabalhar todos os dias, sem descanso, em expediente integral, para resolver a urgente questão financeira do clube, investir com inteligência no futebol, concluir o seu centro de treinamento, revigorar nossa sede social histórica, estudar com afinco e sem preconceitos e vaidades a questão de um estádio próprio e/ou a revitalização de nosso estádio centenário e também devolver a nossos esportes olímpicos a estrutura necessária a quem honra nossas cores igualmente nas quadras, piscinas e demais equipamentos esportivos mundo afora. Teremos um marketing e uma comunicação ativos, conscientes da importância e da força de nossa marca.

 

Se depender de nosso trabalho, compromisso e seriedade, o Fluminense, tantas vezes campeão, será ainda mais!

 

Assinado

Chapa Tantas Vezes Campeão.

Saudações Tricolores!

fofoca e fofoqueiros

Mudam-se as siglas e não as pessoas

A Aliança Renovadora Nacional (Arena) foi um partido político surgido em 1965 com o objetivo de dar sustentação à ditadura militar. Após a redemocratização, em 1985, a sigla passou a se chamar PDS e, posteriormente, Partido da Frente Liberal (PFL), que seguiu abrigando políticos ligados aos setores que ocuparam o poder durante o regime de exceção. Em 2007, nova mudança: o partido passa a se chamar Democratas (DEM), agremiação do atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. 

O Partido Trabalhista do Brasil (PTdoB), que tem uma bancada de apenas cinco deputados no Congresso Nacional, agora se chama Avante. O Partido Ecológico Nacional (PEN), com a mesma quantidade de parlamentares atualmente, mudou para Patriota. Já o Partido Social Democrata Cristão, fundado em 1995, agora é simplesmente Democracia Cristã. 

Tal qual na política brasileira, vivenciamos no Fluminense uma tentativa de apagar um passado nada lisonjeiro. Da Vanguarda Tricolor, que nos levou à Série C, virou MR21, que apoiou Pedro Abad, tendo inclusive o Vice-Presidente Geral, Cacá Cardoso e Diogo Bueno os seus notórios representantes nessa gestão. Após demitirem vários jogadores pelo Whatsapp, abandonaram o barco e, num Toque de Midas invertido, viraram oposição com o nome de FUF.

Recentemente, reapareceram com uma nova denominação (Movimento Cidadania Tricolor) capitaneada por uma página no Facebook, onde a maior proposta de gestão é atacar, de forma mentirosa, o Mário Bittencourt. Chegam ao absurdo de associar o nome do Mário à gestão de Pedro Abad, culpando-o indiretamente pela incompetência dessa gestão da Flusócio, que foi apoiada executivamente por eles. Quem não se lembra da frase “Palavras o vento leva”?

A Tricolor de Coração está aberta a críticas, desde que permaneçam no campo das idéias e com o direito ao amplo contraditório. Atacar de maneira apócrifa um dos integrantes do nosso projeto de gestão com mentiras absurdas, que beiram o surreal, tentando passar um atestado de ignorância ao Tricolor que acompanhou todos os erros dessa gestão, da qual eles fizeram parte, não aceitaremos.

Todos sabem quem realmente deu a cara a tapa na defesa do Fluminense durante toda a gestão Pedro Abad. Estão aqui os vídeos com Mário Bittencourt, as postagens de Celso Barros e as dezenas e dezenas de postagens da Tricolor de Coração (veja no final desta postagem) apresentando os erros e oferecendo idéias, sugestões, sempre na defesa do nosso Fluminense.

Videos Mário Bittencourt
Videos / Prints Celso Barros

Guardem os nomes de Julio Bueno, Diogo Bueno, Cacá Cardoso, Marcos Furtado, Antônio Gonzales, Miguel Pacha, Sérgio Galvao (este o grande mentor da união de 2016 entre Flusocio, Pedro Antônio, Peter, Abad e Caca) e tantos outros que vão surgir no caminho. Eles reapareceram com um novo “make up” tentando se passar pelo “novo”, “revolucionário” e “salvadores da pátria”. Todo Tricolor sabe o que fizeram quando estiveram no poder.

Clique na imagem para ampliar

Não deixaremos isso acontecer novamente. Unidos venceremos.

Tricolor de Coração

Leia as postagens da Tricolor de Coração
Postagens da ANTC

NOTA OFICIAL

 

Sobre o anúncio da saída de Ricardo Tenório do projeto do Triunvirato, grupo formado por ele, Mário Bittencourt e Celso Barros, a Tricolor de Coração esclarece:

A saída do Tenório do projeto deu-se única e exclusivamente por opção pessoal. Julgamos completamente infundados os motivos elencados por ele. Pois se, em mais de um ano de reuniões, trocas de mensagens e discussões profundas nunca mencionou tais razões, como elas surgiram agora? No que o cenário atual difere de 2016, quando concorreu ao lado das mesmas pessoas?  Tais argumentos nascem agora, justamente quando as discussões e a análise de informações já demonstravam que não seria o seu nome o mais indicado para postular a presidência do clube nas próximas eleições.

Durante todo esse período de existência do Triunvirato, sempre afirmamos que no momento certo declararíamos nosso apoio ao nome do candidato à Presidência e do Vice que julgássemos em melhores condições. Essa decisão passaria pela avaliação de dados técnicos e estatísticos, concretos, que norteassem a escolha. Passou também pela análise do perfil e do currículo de cada um dos nomes. O momento de vida e profissional de cada um neste momento. A capacidade de entregar ao clube trabalho, competência e criatividade para superar os desafios.

Tenório queria se fazer o candidato sem levar esses aspectos em conta que norteavam nossa escolha. Um desejo pessoal, que respeitamos porque sabemos que é legítimo, mas não pode prevalecer sobre a realidade.

A Tricolor de Coração lamenta a decisão de Ricardo Tenório, ainda mais num momento decisivo e após ultrapassarmos um longo período de ataques, difamações e mentiras, perpetrados por aqueles que desejam a todo custo permanecer no poder. Uma reunião já estava marcada para a próxima segunda-feira com o objetivo de seguir no debate para definir a posição de cada um (incluindo Tenório no projeto) quando fomos surpreendidos pelo anúncio injustificado pela imprensa.

Acreditamos que podemos pacificar o cenário político e principalmente promover com austeridade uma gestão com governança profissional e transparência. E mais, uma gestão vencedora, levada adiante por aqueles que possuem experiência, pois participaram ativamente da gestão do clube. Pessoas que são protagonistas nesse mundo do futebol.

Que a torcida Tricolor saiba decidir com inteligência os destinos do nosso amado Fluminense. O nosso projeto e a construção da chapa continua firme e forte com Mário Bittencourt, Celso Barros e seu grupo de apoio, os nomes já confirmados na nossa chapa para a eleição e todos os tricolores que sabem que o nosso projeto pode trazer o nosso Fluminense vitorioso e respeitado de volta. É de Coração!

“A volta dos que jamais se foram”

Deturpar contextos e encaixar frases a seu bel prazer será sempre a conduta de quem já passou e destruiu o Fluminense. São ardilosos e sombrios que produzem vídeos sem autoria, que trocam o nome do grupo político para ludibriar os sócios e tudo isso sem a coragem de “assinar” suas obras nefastas e maledicentes. Estamos falando do “novo grupo” chamado Movimento Cidadania Tricolor.
A última deles foi enviar e-mail aos sócios do clube, se apresentado como um novo grupo capaz de “salvar” o Fluminense, segundo eles, baseados em 11 pilares.
No mesmo email enviado, eles tentam confundir os sócios citando o nome de um dos candidatos do Trio apoiado por nós, como se fôssemos a continuidade da atual gestão. Política suja e rasteira como estão acostumados. E que grupo é esse? Esse grupo é composto pelas mesmas pessoas que há décadas circundam o poder nas Laranjeiras como abutres ou, melhor dizendo, urubus. Iniciaram suas carreiras políticas no clube através da famigerada Vanguarda Tricolor que levou o Fluminense à Série C. E de lá para cá sempre conseguiram um jeito de estarem grudados no poder.
Então, para tentarem se manter sempre como “novidade”, eles que eram Vanguarda, depois viraram MR21, depois Unido e Forte, depois a sigla FUF e agora por último inventaram o nome
de Movimento Cidadania Tricolor.
Ufa (ou seria FUF), até cansa puxar todo esse histórico…
Lembrando que antes da recente mudança de nome, a tal FUF (de Cacá e Diogo Bueno) foi parte integrante da aliança que elegeu Abad e que participou em vários postos relevantes na atual gestão. Haja óleo de peroba para manter e conservar o velho para que pareça “novo”.
O surrealismo é tanto  que no evento de lançamento deste “Movimento Salvador” estavam presentes os senhores Júlio Bueno (pai do VP de Financas da gestão Abad, Diogo Bueno), Antônio Gonzales (VP de futebol que levou o clube à terceira divisão) e Miguel Pachá (VP jurídico da gestão Abad) que, junto com Diogo Bueno e o próprio Abad, foi um dos grandes responsáveis pela idealização e execução da dispensa de vários atletas por WhatsApp no fim de 2017 / início de 2018, gerando assim um novo passivo de cerca de 70 milhões de reais ao Fluminense.
Sócio tricolor, por favor não se engane. Há anos eles agem assim. Se juntam em bando para tomar o poder e depois corroer a instituição por dentro. Foi exatamente o que fizeram no final da década de 90 nos levando à Série C e agora em 2018 quando resolveram pular do barco.
Joguem alguns desses nomes de pessoas e grupos (que na verdade é sempre o mesmo com nome novo de tempos em tempos) no Google. Pesquisem. Estudem as respectivas biografias e descubram quem é quem.
Não se deixem iludir por mais uma lorota de primeiro de abril de um grupo que faz da mentira e da incompetência as suas maiores marcas.
Saudações Tricolores de Coração e até as eleições.